VOLTAR

Fluminense faz belo gol, segura pressão do Fortaleza e abre vantagem nas quartas

A nona vitória nos últimos 10 jogos do time de Fernando Diniz - terceira seguida - veio com enorme dose de sofrimento na segunda etapa

Um belo gol de Nonato em linda trama ofensiva garantiu preciosa vitória ao Fluminense em visita ao Fortaleza pelas quartas de final da Copa do Brasil. Com o 1 a 0 no Castelão, os cariocas jogarão pelo empate no Maracanã, dia 18 de agosto, por vaga nas semifinais. Depois de uma primeira etapa perfeita, os visitantes passaram enorme pressão na etapa final.

A nona vitória nos últimos 10 jogos do Fluminense - terceira seguida - veio com enorme dose de sofrimento na segunda etapa. O Fortaleza acertou duas bolas na trave e ainda teve um gol anulado nos minutos finais por impedimento flagrado somente pelo VAR.

Agora as equipes mudam o foco para o Brasileirão, no qual o Fluminense espera seguir à caça do líder Palmeiras e o Fortaleza tentará iniciar arrancada para fuga da lanterna. Ambos jogam fora de casa. Os cariocas visitam o Santos na segunda-feira, enquanto os cearenses vão ao Mato Grosso encarar o Cuiabá, no domingo.

Em situação desesperadora com a lanterna do Brasileirão, o técnico Juan Pablo Vojvoda optou por descansar alguns titulares do Fortaleza pensando na competição e mandou um time a campo pela Copa do Brasil com a defesa reforçada com três zagueiros. Titi, Matheus Jussa, Romarinho, Moisés e Silvio Romero iniciaram no banco, enquanto Tinga, Zé Welison e Hércules eram ausências por lesão.

O ataque contava com Thiago Galhardo, um dos reforços da janela de transferência, pela primeira vez desde o início. Otero era uma das opções para o decorrer do jogo - entrou no fim. A ideia era segurar o favoritismo dos cariocas e chegar "vivo" na volta, daqui três semanas, no Maracanã.

Por outro lado, Fernando Diniz queria levar um bom resultado para o Maracanã e escalou sua formação ideal. Com os principais jogadores, o Fluminense demorou para achar espaços e ameaçar o gol dos mandantes. A primeira oportunidade surgiu dos pés de Cano. Mas o artilheiro estava impedido.

Pregando pela paciência e com trocas intensas de passes, os cariocas precisaram de 26 minutos para abrir o marcador. Samuel Xavier foi à linha de fundo e cruzou para trás. Ganso tocou de calcanhar e Nonato fez 1 a 0. 

A festa era grande até o VAR chamar Raphael Claus para avaliar uma possível falta na origem da jogada. O árbitro, que estava do lado do lance do nada havia anotado, atendeu a orientação e anulou o lance por infração de Cano na roubada de bola.

Oito minutos depois, enfim, valeu. E com muitas semelhanças ao gol anulado. Samuel Xavier cruzou novamente da direita, Arias fez o corta-luz e o toque de classe, desta vez, foi de Cano. Nonato bateu com qualidade e festejou nova e válida pintura.

Sair em desvantagem transformou o apoio dos cearenses em protesto ainda no primeiro tempo. Pediam disposição e raça ao time que não conseguia ameaçar o gol de Fábio. Em rara chegada, aos 43, reclamação de pênalti de Nonato. Claus mandou seguir acertadamente.

O Fluminense desceu para os vestiários com tranquilidade e satisfeito com a vantagem mínima. Já o pressionado Fortaleza tinha um rival duro pela frente e a impaciência da torcida como empecilhos. A vaia foi enorme.

Vojvoda optou por Moisés na vaga de Lucas Lima e o Fortaleza retornou mais agressivo na etapa final. Nino cortou a primeira e Robson parou no travessão aos seis minutos. Enfim, os donos da casa entraram na partida. A resposta de Diniz veio com reforço na marcação com entrada de Martinelli no lugar de um cansado Ganso.

O Fortaleza ficaria no quase mais uma vez aos 20 minutos. O chute forte de Lucas Crispim parou na trave direita. Otero e Romarinho entraram para deixar o time cearense ainda mais ofensivo. Diniz colocou Felipe Melo para reforçar a marcação.

Depois de dominar a primeira etapa, o Fluminense caiu de rendimento e passou enorme sufoco na etapa. Fábio e os zagueiros Manoel e Nino se desdobravam para parar o ataque do Fortaleza. 

Aos 43, Silvio Romero até empatou, mas o VAR acusou impedimento do atacante e frustrou a torcida local. A gigante pressão esbarrou no bem postado esquema defensivo carioca, que festejou muito a vitória.

FICHA TÉCNICA

FORTALEZA 0 x 1 FLUMINENSE

FORTALEZA - Marcelo Boeck; Britez, Ceballos e Marcelo Benevenuto; Lucas Crispim, Lucas Sasha, Ronald (Otero), Lucas Lima (Moisés) e Juninho Capixaba; Thiago Galhardo (Romarinho) e Robson (Romero). Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

FLUMINENSE - Fábio; Samuel Xavier, Nino, Manoel e Caio Paulista; André, Nonato (Felipe Melo), Ganso (Martinelli) e Arias (Yago Felipe); Matheus Martins (Willian) e Cano (Marrony). Técnico: Fernando Diniz.

GOL - Nonato, aos 34 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Raphael Claus (SP).

CARTÕES AMARELOS - Juninho Capixaba, Lucas Crispim e Lucas Sasha (Fortaleza) e Nonato (Fluminense).

RENDA - R$ 366.345,00.

PÚBLICO - 29.898 presentes.

LOCAL - Castelão, em Fortaleza.

(Folha Vitória)


Comentários

VOLTAR