VOLTAR

5G: Saiba quando a nova tecnologia deve chegar em Vitória

A faixa pela qual vai transitar a internet de quinta geração é ocupada hoje pelo sinal de TV por antenas parabólicas

Mais uma capital brasileira passa a contar com a tecnologia 5G a partir desta quinta-feira (04). Depois de Brasília, João Pessoa, Porto Alegre e Belo Horizonte, São Paulo é a quinta cidade brasileira a ativar a nova geração da internet.

Para a ativação em Vitória, ainda não há uma data prevista. No entanto, de acordo com determinação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), todas as capitais devem ter o 5G ativado até o fim de setembro. (Veja o prazo para todas as cidades no final da matéria)

O prazo, no entanto, pode ser adiantado. Isso porque na semana passada, o conselheiro Moisés Moreira, que preside o Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz (Gaispi), afirmou que existe a expectativa de que o trabalho de limpeza das faixas seja concluído até o fim de agosto em todas as capitais.

A faixa pela qual vai transitar a internet de quinta geração é ocupada hoje pelo sinal de TV por antenas parabólicas. O processo de limpeza consiste em migrar o sinal das parabólicas da banda C para a banda KU.

A ativação da tecnologia em todas as capitais estava originalmente prevista para ocorrer até 31 de julho, mas o prazo foi prorrogado por mais 60 dias - possibilidade que já estava prevista no edital do 5G - em razão da escassez de equipamentos importados da China, necessários para barrar interferências no 5G de outros sinais de telecomunicação.

O que é a tecnologia 5G

Próxima geração da internet móvel, a tecnologia 5G pura oferece velocidade média de 1 Gigabit (Gbps), dez vezes superior ao sinal 4G, com a possibilidade de chegar a até 20 Gbps. O sinal tem menor latência (atraso) na transmissão dos dados. Um arquivo de 5G pode ser baixado em cerca de 40 segundos nesse sistema.

A tecnologia 5G permitirá a estreia da “internet das coisas”, que permite a conexão direta entre objetos pela rede mundial de computadores.

Essa tecnologia tem potencial para aumentar a produção industrial, por meio da comunicação direta entre máquinas, e possibilitar novidades como cirurgias a distância e transporte em carros sem condutores.

Como ter acesso à tecnologia 5G?

Para ter acesso à tecnologia 5G, o usuário deve ter um chip e um aparelho que aceite a conexão. O cliente precisa verificar se a operadora oferece o serviço e estar na área de cobertura. O site da Anatel informa a lista de celulares homologados para o sinal 5G puro.

O consumidor precisa ficar atento porque existem celulares fora da lista que mostram o ícone 5G. Nesses casos, porém, o aparelho não opera o sinal 5G puro, mas o 5G no modo Dynamic Spectrum Sharing (DSS) ou non-standalone (NSA), chamado de 5G “impuro” por operar na mesma frequência do 4G, na faixa de 2,3 gigahertz (GHz). Dependendo da interferência, o sinal 5G “impuro” chega a apresentar velocidades inferiores ao 4G.

Cronograma de implantação

Municípios com população igual ou superior a 30 mil habitantes

Até 31/07/2023: ampliar a quantidade de antenas nas capitais dos estados e no Distrito Federal (no mínimo 1 antena para cada 50 mil habitantes);

Até 31/07/2024: ampliar a quantidade de antenas nas capitais dos estados e no Distrito Federal (no mínimo 1 antena para cada 30 mil habitantes);

Até 31/07/2025: ampliar a quantidade de antenas nas capitais dos estados e no Distrito Federal e atender os municípios com população igual ou superior a 500 mil habitantes (no mínimo 1 antena para cada 10 mil habitantes);

Até 31/07/2026: atender os municípios com população igual ou superior a 200 mil habitantes (no mínimo 1 antena para cada 15 mil habitantes);

Até 31/07/2027: atender os municípios com população igual ou superior a 100 mil habitantes (no mínimo 1 antena para cada 15 mil habitantes);

Até 31/07/2028: atender 50% dos municípios com população igual ou superior a 30 mil habitantes (no mínimo 1 antena para cada 15 mil habitantes);

Até 31/07/2029: atender 100% dos municípios com população igual ou superior a 30 mil habitantes (no mínimo 1 antena para cada 15 mil habitantes);

Municípios com população inferior a 30 mil habitantes

Até 31/12/2026: atender pelo menos 30% dos municípios com população inferior a 30 mil habitantes;

Até 31/12/2027: atender pelo menos 60% dos municípios com população inferior a 30 mil habitantes;

Até 31/12/2028: atender pelo menos 90% dos municípios com população inferior a 30 mil habitantes;

Até 31/12/2029: atender 100% dos municípios com população inferior a 30 mil habitantes.

(Folha Vitória)


Comentários

VOLTAR